dueto de morte

11 Mar
11 Março, 2009

– Bom dia – disse a rapariga. – Chamo-me Nancy Grant. Telefonei há uma hora. Mr. Fox está?
A mulher abanou a cabeça.
– Mr. Tecumseh Fox ainda não voltou. Espere no alpendre da frente, a menos que queira entrar por aqui. Estou ocupada a preparar o jantar……?
– Eu … – a rapariga mordeu o lábio. – Ele demorara muito.
– Talvez não, mas nunca se sabe. Devia ter regressado ontem à noite. Mr. Crocker não lhe disse isso ao telefone?
– Sim, disse, mas eu… .
– Bom, Mr. Tecumseh Fox acabará por voltar. Volta sempre. Em que tipo de sarilhos está metida? É grave?
– Sim.
– Esqueça-os. Pode ir apanhar flores. Há flores por todo o lado, apanhe as que quiser. Quem me dera poder fazer o mesmo. Quem me dera poder ir à igreja ou sentar-me cá fora ou apanhar flores, num dia como este, mas tenho de tratar do jantar – rodopiou abruptamente e dirigiu-se à porta mas, depois de ter desaparecido atrás das rosas, o rosto dela voltou a aparecer para anunciar: ­- Chamo-me Mrs. Trimble. – e depois entrou.[1]

Aqui está uma forma diferente e interessante de cativar o leitor. Mais uma vez é uma obra de Rex Stout, mas com Tecumseh Fox a orientar o desfiar do mistério.
Ainda não peguei numa nova aventura do Nero Wolfe. Vou ler primeiro esta obra. É a teimosia ao quadrado.


Dueto de Morte, Rex Stout
título original: Double for Death
revisão: Dália Moniz
tradutor: Elsa T. S. Vieira
editor: “Livros do Brasil”, Colecção Vampiro, n.º 669, 240 páginas, 1ª edição (junho.2003), pág. 11[1]
isbn: 972-38-2660-7

Tags: , ,
0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

deixar uma resposta

© 1999.2017 porta VIII. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera
%d bloggers like this: