humpá-pá

20 Set
20 Setembro, 2009

Para me vingar da inexistência da feira do livro no XVI Salão Internacional de Banda Desenhada de Viseu, e depois de jantar no Centro Comercial Palácio do Gelo, ataquei a Fnac.

Aí comprei além do primeiro volume da trilogia Millenium (“Os Homens que Odeiam as Mulheres”, de Stieg Larsson, editado pela Oceanos) o álbum Humpá-Pá, Pele-Vermelha, da ASA.
Este álbum, da responsabilidade da dupla René Goscinny e Albert Uderzo, nunca foi lido na totalidade. Li algumas páginas no meu antigamente na revista TINTIN. Ontem dei por ele em destaque talvez devido ao futuro lançamento das aventuras de Astérix em mirandês e cacei-o. E ainda bem, porque a edição da ASA está recheada com dois bombons: um excelente prólogo e os primeiros esboços de 1951.

Humpá-Pá é a primeira criação dos pais de Astérix (1959 na revista Pilote). Tudo começou quando por mero acaso se viram lado a lado na delegação de Paris da World Press em 1951.

Humpá-pá viu a luz do dia nesse mesmo ano. Na sua concepção original os autores “partiram da ideia de narrar as desventuras de um jovem índio, habitante de uma reserva, e do conflito que este mantinha com a vida moderna americana que rodeava tal reserva(…).” (pág. 4 da edição da ASA) Esta primeira abordagem foi uma desilusão.
O renascimento ou o verdadeiro nascimento surge em 1958. Agora Humpá-Pá foi deslocado para o século XVIII e é um nativo americano dos Sávanás que sempre acompanhado do seu amigo Humberto-da-Massa-Folhada, oficial francês de escalpe-duplo, vive aventuras num “delírio humorístico” apetitoso.

Fico feliz por esta fantástica reedição.

Tags: , , , ,
4 replies
  1. PonTIX says:

    TXIIIII! O que tu adquiriste. Belas histórias. Divertia-me imenso a ler isto e Salamão e Mortadela quando era mais novo. Ainda me lembro de rir desmesuradamente quando o Humpa-pa descobriu o escalpe-duplo do massa-folhada.

    Responder
  2. PonTIX says:

    Comigo não estão. Aqui tenho alguns comprados no antigo quiosque da estação.

    Responder
  3. Bongop says:

    Esses li-os todos quando era puto, na Biblioteca Municipal de Oeiras. Infelizmente não tenho nenhum, talvez compre umas reedições para quando a minha filha começar a ler!
    Eu gostava mesmo do Humpá-Pá!

    Abraço
    .-= Mijeong é o último post de Bongop =-.

    Responder

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

deixar uma resposta

© 1999.2018 porta VIII. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera
%d bloggers like this: