another cross

16 Nov
16 Novembro, 2010

a stone cross transfigured into fire and light.
place? franqueira, barcelos.

estação do oriente

16 Nov
16 Novembro, 2010

a new vision of the “estação do oriente”, lisbon.
darker. more gothic. more beautiful. yeah…

david soares i

16 Nov
16 Novembro, 2010

Lançamento do livro “A Luz Miserável” de David Soares no Fórum Fantástico 2010 (Lisboa).
Um pequeno ajustamento à imagem original. A primeira de duas.

david soares ii

16 Nov
16 Novembro, 2010

Lançamento do livro “A Luz Miserável” de David Soares no Fórum Fantástico 2010 (Lisboa).
Um pequeno ajustamento à imagem original. A última de duas.

fórum fantástico, 2010

16 Nov
16 Novembro, 2010

O dia 13 foi o meu grande dia, e lamentavelmente o único, no Fórum Fantástico 2010. Soube a pouco, soube a muito.

Balian of Ibelin: What is Jerusalem worth?
Saladin: Nothing.
[walks away]
Saladin: Everything!

from Kingdom of Heaven

Depois de uma viagem hiper-mega cansativa como diria o meu adolescente caseiro e sem ter ainda almoçado (trinquei entretanto um chocolate no fórum) lá me sentei a tempo de assistir ao Painel “Lisboa Fantástica”, moderado por Rui Tavares, com João Barreiros, David Soares e Octávio dos Santos. Só tenho a tecer elogias à loquacidade dos intervenientes que permitiu sem qualquer dificuldade “beber” atentamente das palavras que foram sendo debitadas por pessoas que sabem (amam) do que falam sem artificialismos.

com david soares

com david soares

Encontrei, cumprimentei, fotografei-me com David Soares a causa da minha saudável loucura – deslocação a Lisboa para ver/ouvir pessoas a falar de livros, “mas podia dar-te para pior” terá dito um conhecido meu que já anteriormente tinha ficado chocado por através de um simples lápis, mas afiadíssimo digo em abono da verdade, eu ter assassinado uma anónima personagem num dos meus contos. Não se pense que ataquei verbalmente David Soares com perguntas e mais perguntas e talvez, ainda, mais perguntas. Nada disso. Eu sou um fã sóbrio que não ficou nem embrutecido, nem paralisado pelo encontro. Apenas entendo, modestamente, que David Soares vem respondendo às minhas perguntas não apenas através do seu blog, mas igualmente pelas suas histórias. A minha satisfação foi atingida pela simpatia e facilidade como qualquer um de nós pode “chegar” a ele. No final do dia senti-me mimado por estar ali ao vivo na apresentação d’ “A Luz Miserável” e pelas suas duas dedicatórias. Já não experimentava uma grande admiração por um autor e pela sua obra desde a saga das cidades obscuras por Benoît Peeters e François Schuiten (que estiveram presentes num dos salões internacionais de banda desenhada do Porto).

com joão barreiros

com joão barreiros

E foi esta facilidade de aproximação que tenho a salientar relativamente a todos os convidados presentes. Algumas vez me passaria pela cabeça falar com João Barreiros, ou ser conhecido pelo Peter Brett como um “Facebook friend”? Se foi com apenas uma ideia em mente que me desloquei a Lisboa a verdade é que nunca pensei que o dia fosse tão positivo. Não bastou David Soares, João Barreiros, Peter Brett, tive ainda um reencontro, desta vez não falhado com Geraldes Lino.

com geraldes lino

com geraldes lino

A apresentação da “A Luz Miserável” foi, claramente, o momento alto do dia e motivo por estar ali sentado na plateia. Valeu a pena. Lamentavelmente tive de partir no dia seguinte (o regresso a casa, inevitável) e não pude como tal assistir à intervenção de David Soares: A Mecânica da Escrita Fantástica (IV) – “Quando a Realidade se mistura com o Fantástico”.

0461

Sem esquecer que me vi na necessidade de comprar uma mala para carregar os livros que comprei. Pois. Um fim-de-semana em cheio.

steak tartare

14 Nov
14 Novembro, 2010

Bife tártaro que tive o prazer de comer no restaurante Hippopotamus (Tivoli Oriente) em Lisboa.

scary?

12 Nov
12 Novembro, 2010

a ghost and a skull; both nothing scary.

what is it?

11 Nov
11 Novembro, 2010

what is it? a shadow? a flickering? a ghost?

greener

11 Nov
11 Novembro, 2010

a decoration of the halloween… at least i think it was; but now with the mess i made in the photography i have my doubts.

o guarda-chuva, o quê?

11 Nov
11 Novembro, 2010

A minha esposa cheia de contentamento, com um rosto tão radiante, como só ela sabe fazer, ofereceu-me um guarda-chuva? tão pequeno em tamanho que vou certamente o perder dentro do porta-moedas.

Agora que o olho bem de perto até me sinto incomodado com o seu comprimento. Acho, até, que o meu falo nos seus momentos de maior felicidade e energia cósmica é maior do que esse adereço irritante.

Reconheço que é prático, mas pouco lisonjeador para um homem que gosta de coisas grandes a fugir para o pujante. Enfim… foi a mais-que-tudo que o ofereceu tenho de sofrer com a chuva e com o guarda-chuva; sofrimento duplo.

© 1999.2018 porta VIII. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera