artigos etiquetados por ‘mulher’
encontros de literatura e banda desenhada – amazonas contemporâneas
18.01.2016arquivado em: DiaRiuM 1

Estes encontros, compostos por quatro debates: 16, 19, 21 e 23 de Janeiro, estão integrados nas comemorações do 40º aniversário do ILCH e pretendem abordar a relação entre a literatura e a banda desenhada, ou como referiu o Prof. Manuel Curado na sua mágica intervenção “o que cola“.

algo para te dizer de hanif kureishi
24.03.2015arquivado em: DiaRiuM 0

Tinha este livro na estante para ler à mais de 4 anos. Oferta de um amigo, só peguei nele para descansar um pouco da leitura em inglês e pareceu-me boa escolha. As primeiras páginas foram lidas sem qualquer dificuldade e como tal dei início à sua leitura.

the daylight war
21.03.2013arquivado em: DiaRiuM 0

De uma forma geral é uma agradável leitura, mas é um livro cheio de momentos muito baixos.

trocas!
04.12.2012arquivado em: DiaRiuM, TiNTa FReSCa 0

– Apenas nos queixamos por as mulheres desejarem serem homens.

joão amaral, a entrevista a quatro visões
28.11.2012arquivado em: DiaRiuM 1

João Amaral foi a minha grande descoberta no panorama da banda desenhada portuguesa nos finais da década de 90 através da revista Selecções BD. Fiquei fascinado pelos seus desenhos hiper-realistas e pelo facto de não existirem na prancha vinhetas estanques. As imagens corriam livres – uma delícia.

ana vidazinha, uma visita ao forno
28.10.2012arquivado em: DiaRiuM 2

Hoje realizo a Ana Vidazinha uma necrópsia ao melhor estilo sofista. Para quem não sabe Ana Vidazinha escreveu em perfeita simbiose com Hugo Teixeira o álbum de banda desenhada “Mahou Na Origem da Magia” e tem no forno em modo grill simples o segundo volume – não tenham medo o forno tem um bloqueio de segurança. Sei de fonte segura que teremos um segundo álbum com “uma bela mistura de amoras, framboesas, morangos e cerejas.” A originalidade foi combinar isto tudo com “uma bola de gelado stracciatella estrategicamente colocada no topo de tudo” – simples? sem dúvida, mas quem se iria lembrar disto? quem?? pois… Ana Vidazinha.

maria mariquitas, a entrevista
25.10.2012arquivado em: DiaRiuM 6

Maria Mariquitas teve a coragem, diga-se de louvar, de responder a algumas questões que me iam na alma, alma em sentido literário, já que sou ateu, o que só demonstra que é uma grande mulher medida em termos cúbicos – serei magnânimo e acrescento ao melhor estilo Dupond et Dupont que é uma grande mulher que leva à letra “Liebe Ist Für Alle Da“.

fifty shades of grey
18.09.2012arquivado em: DiaRiuM 0

Raramente escrevo opiniões negativas, passo por cima da leitura, mas, desta vez, não posso deixar dizer que é um livro de uma qualidade medíocre, sem surpresas, e repetitivo, repetitivo, repetitivo.

  • copyright © 1999.xxxx porta VIII. all rights reserved | todos os direitos reservados.
  • porta VIII é corajosamente alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera
são regularmente gastos na produção e manutenção deste blog uns bons pedaços de caldo, suaves e frutadas cervejas.